MENU

‘FIFA 12′ pode ter versões para NGP e 3DS

Warner libera novas informações do jogo do Lanterna Verde

07/04/2011 Views: 860 Nintendo DS

Após polêmica de jornal, ingleses discutem se 3DS faz mal à saude

O desconforto diante da tela 3D do Nintendo 3DS é uma unanimidade, mas o problema que deveria ser algo superficial está gerando discussões sérias na Inglaterra após o jornal sensacionalista The Sun atacar o recurso 3D do aparelho.

Em uma matéria sobre o 3DS publicada na última segunda-feira, o jornal comentou que o portátil da Nintendo estava batendo recordes de devolução no Reino Unido. A informação foi desmentida no dia seguinte pelas lojas do país, mas, honrando a fama de bom humor e sensacionalismo, o The Sun tratou de publicar mais um artigo desfavorável ao 3DS.

Na matéria de hoje, o jornal testou o 3DS em um homem de 22 anos, que fez exames acompanhado de uma médica. Na primeira meia hora de jogo, a pressão do jogador estava em normais 12-7, porém aumentou para 13-7 após uma hora e chegou a 14-8 em duas horas, quando a cobaia decidiu jogar no banco de passageiro de um carro. O veredicto da médica Carol Cooper: “Crianças não deveriam ser deixadas jogando por horas”.

Com a polêmica instalada na Inglaterra, o site CVG também foi atrás da opinião de um médico, o expert em imagens e gráficos da Universidade de Cambridge, Dr. Neil A Dodgson.

Segundo Dodgson, olhos cansados e dores de cabeça ao jogar o 3DS são sintômas relativamente incomuns e não colocam em risco a saúde das pessoas. “Todas as atuais tecnologias comerciais de 3D exigem uma desconexão entre acomodação e vergência. Existem dois grupos de músculos nos olhos, sendo que um deles foca os olhos no que você está vendo (acomodação), e o outro converge os olhos na posição em que você está vendo (vergência). No mundo real, os dois músculos funcionam juntos. Com a tecnologia 3D comercial, você precisa focar na tela, mas convergir nos objetos virtuais — o que significa que os dois grupos de músculos não estão mais trabalhando em conjunto”, explica o doutor Dodgson. “Isso poderia causar problemas para qualquer um caso os objetos virtuais estivesse longe demais na frente ou atrás; mas os criadores de conteúdo sabem disso e deixam os objetos perto da tela na maioria das vezes”.

Ainda segundo o médico, algumas pessoas são especialmente sensíveis ao desconforto do 3D, mas mesmo para elas não há possibilidade de qualquer lesão permanente. Eles apenas sentirão dores de cabeça e não conseguirão usar o 3D.

Fonte: http://outerspace.terra.com.br/